Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DISPARE

Navegar, navegar a ocidente, já se vê terra e o fim do mundo... ou poemas do manicómio

DISPARE

Navegar, navegar a ocidente, já se vê terra e o fim do mundo... ou poemas do manicómio

25
Nov10

CARTA

Peter

A negrura da noite e o azul do dia

são os locais onde se  acoita Deus

e tenho o problema de saber

se uma carta demora  a lá chegar

se é infinita

ou se prescreve

ao fim de tantos dias

 

ao mesmo tempo

haverá promoções

ou idas em low cost

perguntas e sorteios para quem goste

e uma televisão oficial

e um  telejornal ?

 

ao fim e ao cabo

trata-se do paraíso

e embora me  broquem a testa  no juízo

gostava de saber

para perguntar a Deus

para lhe escrever.

  

18
Nov10

PERGUNTAS

Peter

 

Porquê este sentar por sobre a brasa

vertida sem odor  na combustão

por sobre  a escuridão que nos arrasa

por sobre o nada que há em cada mão

porque o  pergunto eu

se na resposta  há sempre o mesmo  não

 

 

porquê existe olhar  na  cameleira

que vive  equilibrada no quintal

que se desfaz em flor

mas  que não cheira

como porta sem trinco sem soleira

casa onde não existe morador

 

porque é que me perguntas

sem pergunta

tu que sou eu  , matéria e aparência

não sabes donde vens , onde besuntas

tua vida de morte e pestilência

tu que sou eu secura no deserto

liso e perdido num buraco aberto

talvez um só pedaço de inocência.

 

08
Mai10

NO MEU PAÍS

Peter

{#emotions_dlg.santarem} 

 No meu país nada mudou, agente

sai e regressa ao som da concertina

tocando o dó , o dó manso e dolente

na boca do vilão que nos domina.

 

no meu país o fado está presente

em todo o solo , é nele que germina

perante um povo amargo e indiferente

imune a toda  a ave de rapina.

 

no meu país acabam madrugadas

a bem dizer antes de começar,

e fazem-se revoltas apagadas

por cravos condenados a murchar.

 

no meu país , no meu país abunda

a ilusão , a fome, a injustiça,

sob uma casta dirigente imunda

eleita mesmo assim, como a nabiça.

 

no meu país nada se muda , é certo

que nasce o sol , o mar se agita e vem

uma sardinha ao prato em céu aberto

que gosto e sal uma sardinha tem !!!

 

no meu país de estrada permanente

directa ao exterior mas retorcida,

vive a saudade a dor, o indecente

ter de  sair para governar a vida.

 

no meu país nada mudou , agente

quando regressa é droga, é pela morfina

como o orar com uma santa em frente

onde a cabeça abaixa e se inclina.

 

no meu país nada mudou  somente

se muda a hora , manhã ou vespertina

sempre os mesmos vilões impunemente

a acompanhar ao bombo a concertina.

 

 {#emotions_dlg.beja}  {#emotions_dlg.portalegre}  {#emotions_dlg.porto}  {#emotions_dlg.benfica}  {#emotions_dlg.aveiro}  {#emotions_dlg.gay}  {#emotions_dlg.vila_real}  {#emotions_dlg.style}  {#emotions_dlg.evil}

16
Abr09

Piangere

Peter

  

piangere di niente di nessuno

piangere in questo mondo lontano

piangere di nulla

uomini di fede abstrata

pazzo é il tempo di noi

pazzi siamo stesso noi

e la nostra indiferenza

noi che strisciamo da verme

sull polvero

sulla rábbia

non siamo  nulla

a meno che scimmia senza testa

essere senza cuore

animali tra gli altri

comme qualquno di loro

aspettando l'arrivo

dell fine.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2016
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2015
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2014
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2013
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2012
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2011
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2010
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2009
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2008
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2007
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D

Em destaque no SAPO Blogs
pub